Seu navegador tentou rodar um script com erro ou não há suporte para script cliente.
Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo
Página inicial > Comunicação > Notícias > Superlotação de presídio estadual de Palmeira das Missões e implantação de APAC no município são pautas de reunião entre Defensoria Pública, Assembleia Legislativa e Município
RSS
A A A
Publicação:

Superlotação de presídio estadual de Palmeira das Missões e implantação de APAC no município são pautas de reunião entre Defensoria Pública, Assembleia Legislativa e Município

Superlotação de presídio estadual de Palmeira das Missões e implantação de APAC no município são pautas de reunião entre Defensoria Pública, Assembleia Legislativa e Município
Superlotação de presídio estadual de Palmeira das Missões e implantação de APAC no município são pautas de reunião entre Defensoria Pública, Assembleia Legislativa e Município - Foto: Divulgação

Palmeira das Missões (RS) – O Defensor Público de Palmeira das Missões, Antonio Augusto Korsack Filho, recebeu, na sede da Defensoria Pública do município, no dia 2 de março, a visita do Deputado Estadual e Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, Jeferson Fernandes, do Assessor da Comissão, Mauro Guimarães Mello, do Juiz da Vara de Execuções Criminais (VEC) do Município, Antonio Carlos de Castro Neves Tavares, do Vereador Vergilio Matias e do Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Jorge Jadir Quadros de Almeida, para tratar de ações e projetos visando a melhoria da situação do estabelecimento penal de Palmeira das Missões.

Durante a ocasião, foi discutido o projeto que prevê a instalação de uma APAC (Associação de Proteção e Assistência aos Condenados) em Palmeira das Missões, cujas tratativas estão avançadas e contam com o apoio do Prefeito Municipal, Eduardo Russomano Freire, e o Promotor da VEC, João Paulo Cardozo. Também foi abordada a situação da superlotação do Presídio Estadual de Palmeira das Missões, e do recente incêndio em uma das celas, ocorrido no dia 26 de fevereiro, resultando em um preso morto e quatro feridos, sendo dois em situação grave, com queimaduras externas e internas em razão da fumaça tóxica dos colchões. Uma inspeção foi feita no presídio após o incêndio e um levantamento fotográfico da cela queimada foi realizado para deliberações futuras.


Texto: Nicole Carvalho/Ascom DPERS
Defensoria Pública do RS
Assessoria de Comunicação Social
http://www.defensoria.rs.def.br/
Twitter: @_defensoriaRS
Facebook.com/defensoriars

Endereço da página:
Copiar